Histórico



O Departamento de Engenharia Mecânica da PUC-Rio

Fundada em 1941, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, sempre manteve compromisso com a excelência do ensino e da pesquisa. Ao longo de sua existência, a PUC-RIO tem ocupado uma posição de liderança no Brasil, sendo uma das primeiras universidades do país a manter um corpo docente em tempo integral, conduzindo pesquisa e ensino de graduação e pós-graduação de forma integrada. Os grandes investimentos realizados em educação e pesquisa, tais como o primeiro centro de computação universitário do país, em 1959, aliados a um corpo docente com sólida formação e experiência, tornaram os programas de graduação e pós-graduação da PUC-Rio reconhecidos nacional e internacionalmente por sua qualidade. Dentro desta visão, foi fundado, em 1948, o Departamento de Engenharia Mecânica (DEM), que desde então vem formando engenheiros com alta qualificação, que têm ocupado posições de destaque na sociedade brasileira. E em 1964, demonstrando o pioneirismo na instituição, foi iniciado o curso de Mestrado em Engenharia Mecânica, atuando nas áreas de mecânica dos sólidos e termociências. Em julho de 1965, a primeira dissertação de mestrado no Brasil foi defendida no DEM.

O DEM é, reconhecidamente, um dos mais destacados do País, tanto na graduação quanto na pós-graduação. O nosso curso de graduação foi o único no Rio de Janeiro a obter conceito A em todas as cinco edições do provão realizadas. Na avaliação da CAPES, o DEM sempre obteve o conceito máximo atribuído a curso de engenharia mecânica no Brasil. Nas últimas avaliações realizadas pela CAPES (2004-2006 e 2007-2009) o DEM obteve a Nota 7.
As áreas de pesquisa cobrem um vasto leque de atividades em áreas básicas e aplicadas da Engenharia Mecânica, distribuídas em Mecânica Aplicada, Termociências e Petróleo e Energia. Atua também em temas interdisciplinares em colaboração com outros departamentos da PUC-Rio. As atividades do DEM possuem o suporte indispensável de sua ampla infraestrutura de Laboratórios de Ensino e Pesquisa, que promovem um ambiente moderno para realização de experimentos práticos e simulações numérico-computacionais. Além disso, a forte integração entre os diversos departamentos do CTC oferece aos pesquisadores a oportunidade de utilizar laboratórios de outras áreas.
O DEM pertence ao Centro Técnico Científico da PUC-Rio. Este Centro se destaca como um dos melhores do país, englobando quatro departamentos de ciências básicas (Química, Física, Matemática e Informática), cinco departamentos de engenharia (Civil, Elétrica, Mecânica, Ciências dos Materiais e Metalurgia e Industrial) e cinco institutos (Centro de Telecomunicações – CETUC, Instituto de Tecnologia – ITUC, Instituto de Energia da PUC – IEPUC, Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente – NIMA e o Centro de Computação – RDC).

Frentes de Atuação

Para manter a qualidade de ensino e pesquisa, gerando publicações de grande relevância a nível internacional e o fortalecimento da mão-de-obra qualificada no Brasil, o DEM prioriza as seguintes frentes de atuação:

1. Integração com indústrias no Brasil e no exterior:

  • O corpo docente do Programa interage intensamente com a indústria nacional e internacional, desenvolvendo projetos de pesquisa cooperativos, financiados por diversas empresas. Os benefícios desta interação são o desenvolvimento de projetos de base científica e com forte conteúdo tecnológico, aumento da capacidade de financiamento do programa, e exposição dos alunos a problemas práticos da indústria, fortalecendo a sua formação e facilitando a sua integração no mercado de trabalho.

2. Atuação na comunidade científica

  • O corpo docente do DEM tem atuação expressiva na comunidade científica, através da participação em associações nacionais e internacionais, participação em comitês de acessoramento de órgão de fomento (CAPES, FAPERJ e CNPq), e em corpos editoriais e revisores de periódicos nacionais e internacionais. Além disso, como resultado de suas atividades de pesquisa e desenvolvimento de projetos, o corpo docente do DEM publica regularmente os resultados de suas pesquisas em periódicos de circulação internacional de qualidade (link para a lista de publicações do DEM nos ultimos 3 anos).  

3. Interação com outras instituições de C&T no Brasil e no exterior

  • O DEM mantém contato, intercâmbios e projetos com outras instituições de ensino e pesquisa do Brasil e do exterior. Esta interação tem ocorrido em diferentes níveis, com a vinda pesquisadores visitantes e a realização de projetos de pesquisa em conjunto. Existem diversos projetos em colaboração com diferentes instituições oferecendo aos alunos a oportunidade de estágios e doutoramento sanduíche.

    A interação com diferentes instituições fortalece o DEM e resulta em inúmeros benefícios científicos. Dentre eles pode-se citar: a publicação de trabalhos conjuntos com outros pesquisadores de centros de excelência do Brasil e do exterior, aumentando a inserção internacional; a formação de pessoal mais qualificado; e o número significativo de visitantes ao programa, e de visitas de docentes do programa a outras instituições.

4. Integração entre graduação e pós-graduação

  • Todos os docentes do programa de pós-graduação também atuam na graduação. Os alunos de pós-graduação têm contato direto com os alunos de graduação, através da participação conjunta nos diversos projetos de pesquisa desenvolvidos no Departamento e, pelo Estágio Docência dos alunos de pós-graduação. Os alunos de graduação são também incentivados a complementar seus estudos com cursos de pós-graduação. A convivência dos alunos de graduação junto aos de pós-graduação é altamente benéfica, com ambas as partes aprendendo a trabalhar em grupo. A participação dos alunos de graduação nos diversos projetos de pesquisa desenvolvidos no Departamento abre os horizontes destes alunos, mostrando a eles a importância do desenvolvimento científico e tecnológico, além de proporcionar uma melhoria na qualidade de sua formação e uma maior e mais fácil integração no mercado de trabalho. Por outro lado, os alunos de pós-graduação também são beneficiados, na medida em que aprendem a comandar e orientar os alunos de graduação, sempre com a supervisão dos docentes.

Como resultado destas ações, o número de alunos de graduação vêm crescendo a cada ano, e na pós-graduação o número vem sendo mantido em torno de 150 alunos, apesar de um grande aumento na procura dos cursos de mestrado e doutorado. Cabe ressaltar também o grande número de alunos originários de países da América Latina, e a crescente procura de alunos de outras partes do mundo, como Ásia e Europa. Acordos de cooperação internacionais permitem também uma intensa troca de professores e alunos com Universidades e Centros de Pesquisa da Argentina, França, Chile, Canadá, Noruega, Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos.