Laboratório de Fadiga e Mecânica da Fratura

O Laboratório de Fadiga e Mecânica da Fratura (LFMF) desenvolve pesquisas e estudos relacionados às falhas de componentes mecânicos sujeitos a carregamentos complexos. Junto com o Laboratório de Estruturas do Departamento de Engenharia Civil, o LFMF dispõe de 12 máquinas servo-hidráulicas computadorizadas de 100kN a 1MN e de acessórios para executar praticamente qualquer tipo de ensaio mecânico, como garras diversas, extensômetros tipo clip-gages de vários tipos e capacidades, sistema de análise digital de imagens (DIC) com câmeras e microscópios, sistema de queda de potencial DC com fonte de corrente servocontrolada e nanovoltímetros para medição de tamanhos de trinca em testes de fadiga, diversos leitores extensométricos e sistemas de aquisição de dados, máquinas de impacto instrumentadas, etc., além de uma pequena oficina de apoio com torno, fresadora e ferramentas manuais, fornos para tratamento térmico, micrômetros e equipamentos metrológicos diversos, etc. O LFMF desenvolveu e usa softwares próprios para pesquisas e serviços de avaliação de integridade estrutural como os programas ViDa 3D (que quantifica dano à fadiga causado por cargas reais de serviço), Quebra2D (que calcula fatores de intensidade de tensão e caminhos de trinca em peças complexas), além de programas para controle das máquinas servo-hidráulicas, aquisição de dados em ensaios de tração de alta velocidade, aquisição de dados e tratamento de sinais extensométricos, etc. O LFMF também projetou e construiu várias máquinas de teste especiais como máquina eletromecânica para testes multiaxiais de tração-torção de até 250kN e 500Nm, máquina universal de testes eletromecânica de 50kN, máquina para testes tri-axiais de rochas com 6 macacos hidráulicos de 5MN, máquina para testes de compressão sob altas pressões hidrostáticas com capacidade de 2.5MN e 120MPa, máquina de fadiga sob flexão rotativa de alta velocidade, acessórios diversos como clip-gages e células de carga, etc. Além disto, o LFMF compartilha com o ITUC, o Instituto Tecnológico da PUC, vários equipamentos complementares como câmeras ambientais e fornos de média e de alta temperatura, máquinas de dureza, máquinas eletromecânicas universais de ensaio; tem um convênio com o Laboratório de Corrosão do Instituto Nacional de Tecnologia, onde têm sido realizados testes de corrosão sob tensão; compartilha com o antigo DCMM e atual Departamento de Engenharia Química e de Materiais vários microscópios óticos e eletrônicos de transmissão e varredura, e equipamentos de metalografia; e compartilha com o Tecgraf uma imensa infraestrutura computacional.

Localização: Pilotis do Prédio Cardeal Leme

Contato: Jaime Tupiassú Pinho de Castro – jtcastro@puc-rio.br

Apoio: Finep, ONR (Office of Naval Research) e CAPES